quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Iniciados do Orixá Jagun Parte I O Babalorixá Pai Márcio de Jagun


O carioca Márcio de Jagun é advogado militante desde 1994. Atua como professor de Direito Portuário nos Cursos de Pós-Graduação da Universidade Gama Filho e na UFRJ (COPPE-EAD). Márcio de Jagun foi iniciado no Candomblé há 32 anos pelas mãos do Babalorixá Josemar de Ogun. É Sacerdote de Candomblé e há dez anos dirige o Ilê Axé Aiyê Obaluaiyê no Bairro de Pedra de Guaratiba, no Rio de Janeiro. É conferencista, articulista e autor dos livros ORI – A CABEÇA COMO DIVINDADE e EWE, A CHAVE DO PORTAL. Há dois anos é apresentador do Programa Ori, na Rádio Metropolitana/Rio.


 Bom meus amigos do blog eu jamais poderia também sequer falar sobre: Jagun meu pai sem citar o babalorixá Márcio de Jagun Carinhosamente chamado por mim de pai. Me lembro até hoje do dia em que nos conhecemos era quase noite no Ilê axê omim e eu fui servir um refrigerante e alguns quitutes feitos por Yalê (Lucinha Pessoa ) para papai Flávio e então o Pai Márcio de Jagun . Quando cheguei eu muito sério e tímido papai flávio logo me arrancou sorrisos dizendo muito obrigado meu filho e vira ao pai Márcio e diz: ele é da palha em sorrisos e pai Márcio responde, - Ah então é gente muito boa. Foi da ae então que virou amor, carinho e respeito a primeira vista e papai Flávio sabia e adorava o meu interesse pois era para mim a segunda pessoa de jagun que conhecia e um egbomi, um babalorixá, depois disso viram muitas conversas na cozinha do axê, dicas ensinamentos, carinho gentileza enfim hoje tenho o maior orgulho de vestir a camisa e de ter encontrado no pai Márcio não só um amigo, um irmão, um conselheiro fiel e diferente de mim e de marcinha (dofona de Jagun) citada no ultimo post o Pai Márcio de Jagun é calmo sereno mais verdadeiro e fiel como uma caricteristica do povo de jagun o que mais me encanta nele é o dom de escrever e de falar se comportar me lembro a primeira visita ao programa ori que ele me recebeu nossa magicamente só faltou me por no colo das inumeras vezes que ele esteve lá no meu axê que podemos conversar. Das vezes que fui ao 
Ilê Axé Aiyê Obaluaiyê, nas festas sempre muito bem recebido. Na festa do senhor porteira um exu muito forte e firme. Desde que te conheci o Pai Márcio tem sido um exemplo e eu faço questão de mencionar a minha satisfação e orgulho de ter conhecido e poder conviver com uma pessoa tão linda por dentro e por fora. Uma das coisas mais linda que escreveu foi para o quadro do programa em homenagem ao falecimento de Pai Josemar do ogun e Papai Flávio de Oguiãn. Casado com minha querida irmã de axê Adriana Farias a Adriana de oya também é meu cunhado. e quantas vezes lembro das saidas do ori na parada do churrasquinho na linha amarela. 


O jagun de Pai Márcio nossa que coisa linda é o Ibi mais perfeito que eu já vi em toda minha estrada, a unica vez que o vi foi na minha casa no pilão de oxaguiãn Pai Jagun saiu na corte. Agradeço por tudo. onten hoje e sempre e sempre será um orgulho para mim. Sabe por que aprendi a amar e admirar sem vaidade e falsidade e sem interesse algum e sim pela pessoa que és você pai Márcio sempre foi um homem de conduta e comigo sempre foi pelo caminho da verdade.








Uma grande postura um grande homem espero que eu ainda te orgulhe muito meu pai querido e amigo e irmão. Que nosso pai Jagun nos cubra sempre em nossa caminhada.





Quando Adaguinha(papai Flávio) e Setinha(Pai Márcio de Jagun) se juntavam ficava pequeno, e todos olhavam sem se quer piscar pois eram muito conhecimento e todos queriam muito aprender. Papai flávio deixou saudades mais um legado muito rico na nossa religião e na parte cultural. 




O ibi mais bem feito que meus olhos já puderam ver asê orisa Jagun minha vida.


Eu tenho orgulho de vestir meu santo no ile de jagun sabe por que ? por que é de verdade sem vaidade sem maldade, como muito existe por ae no candomblé o que precisar de mim pái márcio o senhor sempre terá.  Falar de mim é facil eu quero ver cobrar o orixa, ele é puro e soberano e sabe o que faz asê Jagun minha vida .


Jagun de Pai Márcio tomando rum com papai Flávio de Oguian nos 30 anos de santo de Pai márcio.


Bom sei que teremos muita coisa pela frente só tenho que te agradecer os momentos bons que ao seu lado de Marcinha que são pessoas do meu orixá que estão marcados para sempre em meu coração e minha vida. Das pessoas que através do senhor pude conhecer como Adriana que representa muita coisa para mim, como Tomejê, Gabriel, Richard, Rubens, Claudinho, Elaine, Renatinho, Mãe Joyce, Alanzinho, Luana Lima a Bia de Oya esposa de nosso querido Tomejê e Nosso querido Josemar do ogun que não o conheci pessoalmente mais li muito sobre ele.Só tenho agradecer a meu pai Jagun por ter me dado você como presente. E um dos momentos que mais me emocionei foi quando adobei para meu pai Jagun em minha casa inesquecivel.
E tenho tantos momentos bons que ficaria aqui a noite toda contando. E tenho que te dizer que: muito grato pelos abraços nas quartas a noite que são recebidos de verdade, e toda vez que o senhor me entrevista ou me chama para falar para mim sempre será a primeira vez eu trmo fico suando frio pois você representa muito em minha vida vida. Cada um tem seu jeito mais todos somos Jagun o proximo será nosso querido irmão Fábio de Jagun.
Isso é amor de Verdade sem interesse sem vaidade que nasceu através da força chamada Jagun.

3 comentários:

  1. lindo irmão querido!
    Olorum modupé!

    ResponderExcluir
  2. Qual é o telefone é o endereço do terreiro do pai marcos de jagun por favor e obrigado

    ResponderExcluir
  3. Tenho acompanhado muitas das postagens do Senhor Babá Marcio, e com seus artigos cresço e aprendo mais sobre a nossa função de praticante e sacerdote do Culto aos Orixás. Que Baba Obaluayè lhe de sempre sabedoria para que o senhor que o senhor continue a trilhar o árduo caminho do sacerdócio. Motumba! Babá Bosco d' Sangò ( Cuiabá-MT)

    ResponderExcluir